A garota não – No dia do teu casamento

No Dia do teu casamento
não fez chuva nem fez vento
fez o sol mais radiante
que eu já vi, de tao brilhante

tu eras felicidade
e se te falar com verdade
no dia do teu casamento
era eu toda desalento

quando foi que foi o dia
que de nós só eu queria
chegar a casa antes da noite
subir voando a mouraria?

quando foi esse momento?
que de fome, frio e sede
e tantas noites ao relento
nos morreu o sentimento?

mas ficar assim
só tua amiga
é tão bonito mas dói-me o braço esquerdo o pé a perna e a barriga

fui de cabelo comprido
e no meu melhor vestido
no dia do teu casamento
bebi só de’ arrependimento

porque dei o bom e o mau
e como se isso fosse errado
foste em busca da princesa
deste o caso por arquivado

antes fosse mais calada
menos louca e perturbada
antes não mostrasse tanto
mas dormia o meu santo

e eu sem ter proteção
nem medi o coração
dei-o todo logo ali
e ao dar tudo só perdi

no dia do teu casamento
fingi bem e tao de dentro
que até eu quase acreditei
no meu próprio fingimento

e as palavras que te disse
como de melhor amiga
de coração são o melhor
não faço manha nem intriga

e o que continha, não sei
na lágrima feliz que soltei
ao ouvir o sim tão claro
igreja fora, amor tão raro

dilacerou-me dentro o peito
só não morri por não ter jeito
para dramas nem tragédias
ora, um brinde às comédias!

mas ficar assim
só tua amiga
é tão mas dói-me o braço esquerdo o pé a perna e a barriga…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *