Lena d’Água – Desalmadamente

o corpo lá
responde ao pensamento, ó ai
que julga ainda
ter só 20 anos, ui
e às vezes vai
tropegamente
ganha ligeireza e
assim flui

e só o espelho
agora é que envelhece, ó ai
e assim até parece
que o mundo não doi
dançando vai
tão indiferente
às asas que o seu
flanco já impõe

e voa,
por benfica, por lisboa
por hoje e por ontem
por tudo o que vier

desalmadamente
deixo-me levar
deixo-me ir na boa
desalmadamente
deixo-me levar
deixo-me ir na boa

e o corpo leva ao
colo o pensamento, ó ai
cansado já de
tanto suspirar de si
na cama cai
convalescente
e para lá do sonho
já sorri

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *