Luís Severo – Boa Companhia



Amor que mata dá-te mais liberdade
Para te entregares sem medo da intimidade
Olhar nos teus olhos, já te faltar vontade
Faltar-te a loucura que te impõe a cidade
O tempo a passar
E o compromisso fardo para a gente carregar

Ainda assusta pensar no homem
Que um dia posso vir a ser
E que me possas largar da mão
Se me der a conhecer
O dia que se repete
E se hoje não te dá alegria
Dar-te um beijo e dizer-te, amor
És boa companhia

Se o teu coração me achou banalidade
Primeira impressão que passou a verdade
Aquele amor de Verão
Que não morre com a idade
Ciência ou passado que não dão claridade
Não deixam em paz
O sonho que aos anos tu tentas esquecer (dizia)
Que amor que mata dá-te mais liberdade
Para te entregares sem medo da intimidade
Ouvi a cantora para saber se é verdade
Que a sede da boca morre com a tempestade
E sabes de cor essas coisas tão mais profundas que o amor

Ainda custa a aceitar o homem
Que um dia posso vir a ser
E que me possas largar da mão
Se me der a conhecer
O dia que se repete
E se hoje não te dá alegria
Dar-te um beijo e dizer-te, amor
És boa companhia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *