Aline Frazão – Sumaúma

Irmã de causa e de casa
Do raso voo de uma asa
Do riso bom de uma dança
Dos olhos dessa criança

És manhã, és sumaúma
A mãe de todas as plantas
A canção que a paz reclama
A voz maior, quando cantas

Diz-me o que vês lá do alto
Olhos de ver sempre longe
Braços de estar sempre perto
Dona do caminho certo

Eu seguirei o teu passo
Marcharei às Heroínas
Escutarei teu cansaço
E cuidarei tuas esquinas

Eu juntarei teus pedaços
Quando lhes perderes vista
Farei minhas tuas mágoas
E tuas minhas conquistas

És manhã, és sumaúma
A mãe de todas as plantas
A canção que a paz reclama
A voz maior, quando cantas

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *