Tiago Iorc – Mil Razões

Se você chega
Tudo incendeia
Põe tudo em jogo
Tudo clareia oh-oh

O sal no afago
O tris de tristeza
O sexo fogo
Sem gentileza oh-oh

E o dia em que lhe vi chorar
Não que lembrar precise
Uma represa
Não tem reprise oh-oh

O cio macio que dói
E aonde você foi
A teimosia
A poesia

Posso lhe dar mais mil razões pra te querer
Coisas que eu já nem sei o nome
Posso compor mais cem canções de amor
Pra quê? Se quando eu canto você some

O doce instinto
Deus indeciso
Eu indefeso
No teu sorriso oh-oh

O gosto atípico
E o jeito sério
Teu rosto místico
Mais um mistério

E o brilho que de ti reluz
E a tanto sóis seduz
É realeza
Não tem deslize oh-oh

Pornôs, por nós dois nus
E os clássicos céus azuis
Os tantos “ui ui uis”
Os cantos doidos e doídos que pra cada céu que é seu eu já compus

Posso lhe dar mais mil razões pra te querer
Coisas que eu já nem sei o nome
Posso compor mais cem canções de amor
Pra quê? Se quando eu canto você some

BOTAO-SEGUE2

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *