Ana Moura – Fado Dançado

Rodo a saia sempre que bem me apetece
Viro o disco se o antigo me aborrece
Bato com o tamanco, mão na anca, e mexe
Diz que o fado não se dança, até parece!
Saio desta roda se bem me apetece
Diz que o vira se não mexe ainda se aborrece
Manca que manca, mão na anca e mexe
Ai não que não dança, até parece

E se alguma lágrima me aparece
O tamanco manda, a cabeça obedece
São dois para lá para cá outro tanto
A ver o pranto não estanca, até parece
Sempre que o meu fado nesse teu tropece
Desenrolo a teia que o destino tece
Viro a minha vida toda do avesso
A ver se o fado não se dança, até parece

A lua foi embora
Olha a aurora a despontar
Se o fado se canta e chora
Também se pode dançar

E se alguma voz se insurge na quermesse
“Fado assim não sei o que é que me parece”
Paro logo e digo alto e para o baile
Até o xaile eu viro se me apetece
Sai da roda e roda a saia, sobe e desce
Vira o disco e diz que vira assim não mexe
Roda o xaile e baila enquanto o baile deixa,
E vê se o fado não mexe, ai não não mexe

A culpa foi embora
Saudade bem pode esperar
Se o fado se canta e chora
Também se pode dançar

BOTAO-SEGUE2

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *