Expensive Soul – Que Saudade

Se um dia falar de ti
É porque, tu ficaste
Tu marcaste
Se foi bom ou mau
Eu já esqueci
E não, não me lembro mais
De trocar as vogais
Sofre, sofre, ao bater do tempo
Às vezes nem lembro, para não ficar cinzento
O que é feito desses momentos?
Não é no fado só
Mas que saudade eu tenho

Oh, que saudade eu tenho
Do cheiro das manhãs de inverno
Pensei que fosse eterno
Oh, que saudade eu tenho
Daquelas noites de verão
Havia sempre solução, para nós
Havia

Se um dia voltar para trás
Então eu deixava-me ficar
Mais tempo a sonhar
Fazer tudo de novo, outra vez
Agora eu vou aproveitar
Para te encontrar
Mas sofre, sofre, ao bater do tempo
Às vezes nem lembro, para não ficar cinzento
O que é feito desses momentos?
Não é no fado só
Mas que saudade eu tenho

Oh, que saudade eu tenho
Do cheiro das manhãs de inverno
Pensei que fosse eterno
Oh, que saudade eu tenho
Daquelas noites de verão
Havia sempre solução, para nós
Havia

Oh, não sei se tu sabes que tudo muda
A saudade bate mais forte, mas também o tempo não ajuda
É a recordação, é a esperança do avesso
Foram tantas que algumas até me esqueço
A idade avançou, o tempo mudou, a saudade bate mais forte
Porque eu sei que quase tudo acabou
É a inocência da irreverência ausente da existência
Da aparência da mesma adolescência

E não há nada
Nada a fazer

BOTAO-SEGUE2

 

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *