Dengaz & António Zambujo – Nada Errado

Houve um dia em que ela escreveu que não queria mais, mas
Eu não gostei mas aceitei, virei a página
Disse que concordava e sem mágoas
Se ela quisesse aparecer na mesma era nas calmas
E pensava “até parece que adivinha”
É que quando ‘tava com elas nessa noite ela vinha
Para aproveitar a vida e eu sentia
Nos lábios delas só de leve aquele copo de vinho
Aí o racional já não interessa
Ele tinha tudo o que ela precisava
Mas depressa ela entendeu que não
E que toda a patricinha adora um vagabundo
E que a nossa cena era essa
O tempo voava quando me sentava com ela
E se eu tivesse sem telefone, sim, ‘tava com ela
A verdade é que juntos era só vida é bela
Até ela dizer que ele era o homem da vida dela

Ah, não ‘tava nada errado
Agora acorda ao meu lado
Minha patricinha
Melhor coisa do mundo
Porque ela adora o vagabundo

Não entendia o meu meio e vice-versa
Mas quando eu disse que ela ia ser minha
Não era só conversa
Quando eu lhe disse para bazar, psicologia inversa
E para azar dela ainda sabia falar com ela em verso
Eu não te colo mas não fico longe
És do meu time e melhor do meu 11
Joguei um Fifa, expulsei os brothers
Liguei o facetime e fiquei 3 horas a ver o teu bronze
Eu jantava com elas mas só me ria
Mensagens para ti só para te contar o meu dia
E pela regra não podias, mas a regra não interessa
Ainda bazavas chateada a perguntar que dança é essa
Até ao dia em que disseste como é que eu fiz isto
Eu avisei ‘tava marcado e tu nem fingiste
Deixaste uma mensagem a dizer
Tá tudo errado
Baby, agora acordas ao meu lado

Ah, não ‘tava nada errado
Agora acordas ao meu lado
Minha patricinha
Melhor coisa do mundo
Porque ela adora o vagabundo

Agora é até eu e tu sermos velhinhos
Até as nossas babies terem filhos
Até os babies delas terem filhos
E eu e tu já só nos rirmos

BOTAO-SEGUE2

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *