Diabo na Cruz – Ó Luar


E pra onde vais ó luar que brilha?
Quem deixais ao beiral da porta?
Onde andais ó amada minha
Se é de noite e o luar se nota?

Já fui lá contar estrelas
Com a ponta da minha espada
Quando olhei era meia noite
Acabei já de madrugada

Apenas se esta água não andasse turva
Saberias que pus moeda onde nadam as tuas queixas
Água que é da vida leva-a a ribeira
Quem levavas tu já não levas
Quem deixavas não mais a deixas

E há quem jure que a cobiça
É um atalho para a aflição
Mas, se eu levo a alma mortiça
É por pisares-me o coração

Há quem sonhe com aranhas
Quem as note coloridas
Podem até ser sedutoras
Que eu não gosto de atrevidas

Apenas se esta água não andasse turva
Saberias que pus moeda onde nadam as tuas queixas
Água que é da vida leva-a a ribeira
Quem levavas tu já não levas
Quem deixavas não mais a deixas

icone-facebook
Segue a Aldeia no Facebook!

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *