Quem é Miguel Araújo?

quem-é-miguel-araujoMiguel Araújo (Miguel Costa Pinheiro de Araújo Jorge, Maia, 13 de Julho de 1978) é um músico português.

Miguel Araújo começou a gostar de música em 1989, influência dos seus tios que tinham uma banda de covers dos anos 1960/70 (Bob Dylan, Beatles, Rolling Stones, etc.), e nesse ano recebeu de presente o seu primeiro baixo. Fez parte dos Yellow Lello (onde também estava Marlon com quem toca nos Os Azeitonas). Depois vieram os Tsé Tsé que lançaram um álbum pela BMG mas que terminaram logo a seguir.

Ficou conhecido como integrante da banda Os Azeitonas, sobre o seu pseudónimo Miguel AJ (ou Miguel Araújo Jorge). Os Azeitonas formaram-se em 2002 aquando de uma viagem de faculdade. Decide trocar o baixo pela guitarra para poder cantar ao mesmo tempo. É neste grupo que começa a compor. O álbum de estreia é editado em 2007, pela Maria records de Rui Veloso.

Em Dezembro de 2007, cria o Blogue do Mendes. Com o seu alter ego Mendes estreia-se ao vivo em 18 de Junho de 2009. A partir de Fevereiro de 2010, começa a colaborar com João Só e lançam o EP “Não Entres Nesse Comboio Amor” pela Optimus Discos.

Entretanto, António Zambujo grava o tema “Reader’s Digest” escrito por Araújo, no seu disco Guia.

Além do disco com João Só participou nos espectáculos “Como Desenhar Mulheres, Motas e Cavalos” de Nuno Markl.

Em Maio de 2012, lançou o seu primeiro álbum a solo, Cinco dias e meio. Este álbum conta com sucessos como “Os Maridos das Outras”, “Reader’s Digest”, “Autopsicodiagnose”, “Fizz Limão” e “Capitão Fantástico”. A música Os Maridos das Outras ganhou bastante notoriedade pela melodia simples e original e pela letra divertida, brincando com preconceitos sobre o casamento e as diferenças dos sexos. O single chegou à quarta posição do top português, enquanto o álbum entrou no Top 3 das vendas em Portugal. Como segundo single do álbum foi divulgado a música Fizz Limão. Na letra, o músico fala de maneira irónica das saudades e nostalgias portuguesas e especialmente da sua geração.

António Zambujo (“O Que é Feito Dela”) e Ana Moura (“E Tu Gostavas de Mim”) gravam músicas da sua autoria nos discos que lançam em 2012.

Continua entretanto a dar prioridade ao seu trabalho nos Azeitonas, enquanto desenvolve atividades musicais paralelas. Nessa altura estava a trabalhar num disco de canções para crianças com António Zambujo, Pedro Silva Martins (Deolinda) e Luísa Sobral e mantinha um outro projeto paralelo, Os da Cidade, com António Zambujo, João Salcedo (teclista de Os Azeitonas) e Ricardo Cruz.

O sucessor de “Cinco Dias e Meio” saiu no dia 21 de Abril de 2014, e tem como nome “Crónicas da Cidade Grande”. É composto, segundo Miguel Araújo, por “cantigas simples, que contam pequenas histórias, nada de muito chique”. Neste disco colabora com João Martins, que fez os arranjos para algumas músicas. Músicas como “Contamina-me”, “Balada Astral” (com a desconhecida Inês Viterbo), “Cartório”, “José”, “Romaria das Festas de Santa Eufémia” (com António Zambujo), “Recantiga” e “Valsa Redonda” (com Marcelo Camelo) estão incluídas neste novo trabalho. O álbum entrou diretamente para o número 1 do top de discos do Itunes e para o top 3 oficial.

Discografia:
2010: Mendes e João Só (Optimus Discos)
2012: Cinco Dias e Meio (EMI)
2014: Crónicas da Cidade Grande (Warner Music)
2015: Cidade Grande Ao Vivo no Coliseu do Porto (Warner Music)

Fonte: Wikipedia

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *