Sá, Rodrix e Guarabyra – Roque Santeiro

Homenagem a José Wilker (20/08/1947 – 05/04/2014)

Dizem que Roque Santeiro,
Um homem debaixo de um santo,
Ficou defendendo o seu canto e morreu,
Mas sei que é ainda vivente, Na lama do rio corrente,
Na terra onde ele nasceu.

E no ABC do Santeiro
O que diz o A, o que diz o A,
O A diz adeus a matriz,
O que diz o B, o que diz o B,
O B é a batalha da morte,
O que diz o C, o que diz o C,
Coitado do povo infeliz.

O D diz que Roque Santeiro, não pode ver seu povo em pranto,
Com a vida defendeu seu canto e morreu.
Mas sei que ele é vivente, abençoa o povo crente,
Até quem não lhe socorreu.

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *