Tiago Bettencourt – Temporal

Tiago Bettencourt – Temporal

Enquanto muito se inventa
Apontando para disparar
Enquanto muito se imita
Carregando para arrancar
Porque só sabe quem tenta
Porque só arde o que vem de ti
Porque só cede quem cega
Porque não finge quem é de si

E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta te descobrir
Tenta te perceber
Guarda para lá do mal o que tentámos ser

Sei que há gente que nega
Sei que há gente sem direcção
Sei que há gente que ferra quando despe imitação
Mas é de ferro esta seta e há verdade noutro lugar
É eterno o poeta
E acredita quem navegar

E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta te descobrir
Tenta te perceber
Guarda para lá do mal o que tentámos ser

Quando não se confia e quando o mundo nos cerca
Quando o olhar se desvia
Quando o deserto nos cerca
Canta o que te ergue
Que mãos dormentes não vão saber
Canta por quem te segue
Canta para quem te vê crescer

E quando o teu sonho arder no temporal
Tenta te descobrir
Tenta te perceber
Guarda para lá do mal o que tentámos ser

BOTAO-SEGUE2

Mais da Aldeia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *